Rivotril e Clonazepam

rivotril caixa

Rivotril é um ansiolítico tarja preta. Atualmente esta medicação tem prescrição restrita devido ao fato de afetar a memória, causar dependência e levar a depressão. Também pode desenvolver tolerância no uso sistemático. O Rivotril é um remédio da classe dos benzodiazepínicos que  são drogas psicotrópicas, isto é, medicamentos que afetam a mente e o humor. Segundo dados da OMS cerca de 10% da população mundial utiliza os benzos. Desse montante, um terço faz uso regular e o restante ou  dois terços utilizam os benzos a mais de 180 dias. No Brasil, entre 2006 e 2010, o número de caixinhas vendidas de clonazepam saltou de 13,57 milhões para 18,45 milhões, um aumento de 36%. O Rivotril domina esse mercado, respondendo por 77% das vendas em unidades (14 milhões por ano). Esses números não contam os outros campeões de venda como o alprazolam e o bromazepam.

Indicações do Rivotril

Rivotril é indicado como ansiolítico, anticonvulsivante, sedativo, relaxante muscular e tranquilizante.

Outros remédios relacionados ao Rivotril são o Valium (diazepam), o Lexotan (bromazepam), entre outros, e como os demais membros dessa classe, está indicado, na psiquiatria, para os casos de transtorno de ansiedade e insônia. Mas cuidado, a longo prazo, algumas pessoas poderão ter sua ansiedade aumentada e sua qualidade do sono prejudicada.

Contra-indicações do Rivotril

Rivotril não deve ser usado por pacientes com história de sensibilidade aos benzodiazepínicos ou a qualquer dos componentes da fórmula, por pacientes com insuficiência respiratória grave ou com insuficiência hepática grave. Pode ser usado em pacientes com glaucoma de ângulo aberto quando estão recebendo terapia apropriada, mas é contra-indicado em glaucoma agudo de ângulo fechado.  

Dr. Drauzio Varella fala sobre o Rivotril (vídeo)




Superdosagem de Rivotril

Superdosagem de Rivotril Os benzodiazepínicos geralmente causam sonolência, ataxia, disartria e nistagmo. Superdose de Rivotril® é raramente com risco de vida, caso o medicamento tenha sido tomado isoladamente, mas pode levar à arreflexia, apnéia, hipotensão arterial, depressão cardiorrespiratória e coma. Se ocorrer coma, normalmente tem duração de poucas horas; porém, pode ser prolongado e cíclico, particularmente em pacientes idosos. Os efeitos de depressão respiratória por benzodiazepínicos são mais sérios em pacientes com doença respiratória. Os benzodiazepínicos aumentam os efeitos de outros depressores do sistema nervoso central, incluindo o álcool. Tratamento Monitorização dos sinais vitais e medidas de suporte devem ser instituídas conforme o estado clínico do paciente. Em particular, os pacientes podem necessitar de tratamento sintomático dos efeitos cardiorrespiratórios ou efeitos do sistema nervoso central. Uma absorção posterior deve ser prevenida utilizando um método apropriado, por exemplo, tratamento em 1 a 2 horas com carvão ativado. Se for utilizado carvão ativo, é imperativo proteger as vias aéreas em pacientes sonolentos. Em caso de ingestão mista, deve-se considerar a lavagem gástrica, entretanto, esta não deve ser considerada como uma medida de rotina. Caso a depressão do Sistema Nervoso Central for severa, deve-se levar em consideração o uso de flumazenil (Lanexat®), um antagonista específico do receptor benzodiazepínico. O flumazenil deve ser apenas administrado sob rigorosas condições de monitoramento. O flumazenil possui uma meia-vida curta (cerca de uma hora), portanto, os pacientes administrados com flumazenil requererão monitoramento após a diminuição dos seus efeitos. O flumazenil é para ser usado com extrema precaução na presença de medicamentos que reduzem o limiar de convulsões (por exemplo, antidepressivos tricíclicos). Consulte a bula do flumazenil (Lanexat®) para maiores informações sobre o uso correto deste medicamento. Advertência O antagonista da benzodiazepina flumazenil não é indicado em pacientes com epilepsia que foram tratados com benzodiazepinas. O antagonismo dos efeitos benzodiazepínicos em tais pacientes pode provocar convulsões.  

Efeitos Colaterais do Rivotril

Efeitos colaterais do rivotril

Efeitos Colaterais Mais Comuns

O Rivotril ou clonazepam tem vários efeitos colaterais, estes são os mais frequentes:

  • Ataxia ou falta de coordenação e problemas de equilíbrio
  • Problemas de respiração ou infeções na garganta
  • Perda de interesse sexual e diminuição da libido
  • Mudanças no comportamento
  • Urinar com mais frequência
  • Visão embaçada, borrada e turva
  • Constipação intestinal
  • Diminuição do apetite
  • Aumento da saliva
  • Perda de memória
  • Dores musculares
  • Confusão mental
  • Fadiga e cansaço
  • Agressividade
  • Nervosismo
  • Sonolência
  • Depressão
  • Tonturas

Efeitos Colaterais Graves

Os efeitos colaterais mais graves incluem:

  • Dificuldade em respirar ou engolir alimentos
  • Erupções cutâneas grave ou urticária
  • Inchaço na língua, lábios ou cara
  • Agravamento da depressão
  • Pensamentos suicidas
  • Dores no peito

Como o Rivotril age no cérebro humano

rivotril no cérebro O Rivotril atua através do seu efeito no receptor do ácido gama-aminobutírico, mais conhecido por GABA, abundante em todo o sistema nervoso central (SNC). O GABA é considerado o principal neurotransmissor inibitório do SNC dos mamíferos. Basicamente, o Rivotril, como os demais ansiolíticos, potencializa a ação do GABA no cérebro. É assim que o Rivotril exerce as suas propriedades farmacológicas: ansiolítica, hipnótica, anticonvulsivante e relaxamento muscular. A ação desse medicamento é bastante rápida, após alguns minutos de uma única dose, ele começa a agir, o que é muito importante para quem está experimentando uma crise de ansiedade aguda ou para quem precisa dormir depressa.  

Observações importantes sobre o Rivotril

Aviso sobre rivotril Devem ter extrema cautela em pacientes com insuficiência renal e hepática. Você não deverá tomar Rivotril se for alérgico ao clonazepam ou a qualquer substância contida no medicamento. Informe seu médico sobre qualquer medicamento que esteja usando, antes do início ou durante o tratamento. Para assegurar o uso seguro e eficaz dos benzodiazepínicos, uma vez que estes podem causar dependência física e psicológica, é aconselhável consultar seu médico antes de aumentar a dose ou interromper abruptamente esta medicação. Caso você tenha problemas hereditários raros de intolerância à galactose, deficiência de Lapp lactase ou má absorção glicose-galactose, não deve tomar esta medicação e deverá falar com o seu médico, pois Rivotril comprimidos possui lactose em sua composição. Pacientes com histórico de depressão e/ou tentativa de suicídio devem ser mantidos sob rigorosa supervisão . É perigoso tomar clonazepam durante a gravidez. Há provas que pode aumentar o risco de defeitos de nascença. Antes de tomar clonazepam avise o seu médico se está grávida ou se pode ficar grávida no futuro próximo. O clonazepam também não é seguro durante a amamentação.

Compartilhar
/wp-content/uploads/2017/07/rivotril-350x330.jpg/wp-content/uploads/2017/07/rivotril-350x330-150x150.jpgRafael XavierPsiquiatriaansioliticos,anticonvulsivos,bula,clonazepam,indicações,relaxante muscular,rivotril,superdosagemRivotril e Clonazepam Rivotril é um ansiolítico tarja preta. Atualmente esta medicação tem prescrição restrita devido ao fato de afetar a memória, causar dependência e levar a depressão. Também pode desenvolver tolerância no uso sistemático. O Rivotril é um remédio da classe dos benzodiazepínicos que  são drogas psicotrópicas, isto é,...Remédio para emagrecer, dieta, tratamento natural, bulas e tutoriais